.share-button {display: inline-block;}

21 setembro, 2017

Projeto Carijo e Coletivo Catarse na 1ª Carijada da Independência em Soledade

Na primeira metade de setembro, o Coletivo Catarse esteve mais uma vez em Soledade, a 225 quilômetros de Porto Alegre, realizando a primeira Carijada da Independência - uma promoção do Gringo Velho com apoio da Prefeitura de Soledade, que cedeu os espaços do Parque Centenário Rui Ortiz.

A equipe do Coletivo fez toda a produção da carijada - o corte das madeiras para a estrutura do carijo, a montagem do carijo, o corte e a coleta da lenha para o sapeco e para a secagem da erva, a colheita da erva-mate, o sapeco e a carijada em si. Contando com apoio do Sr. Neldir Lando, buscou todo este material em duas viagens até a Linha Pinheiro, próximo à Vila Assis, em Fontoura Xavier, a 30 km de Soledade.

Esta foi a quarta carijada realizada pela Catarse no ano de 2017, a segunda em Soledade, as outras ocorreram em Porto Alegre e Ijuí. Desta feita, a equipe - auxiliada por membros da banda Barão e Os Vermelhos - conseguiu manter um manejo perfeito do fogo e considerou a melhor erva produzida no ano (cerca de 60kg em um carijo 2m x 2m x 1,30m).

O primeiro dia de movimentação para a montagem da estrutura do carijo, fomos até a Linha 3 Pinheiros buscar os eucaliptos verdes e parte da lenha. Uma serração pesada nos acompanhou em todos os 15 km de estrada de chão e durou toda a manhã. O local mescla paisagens bucólicas incríveis, com açudes e lagos margeados por capões de mata virgem, e lavouras de eucalipto. Observamos muitas araucárias no caminho.







O carijo (esteios e base da esteira de eucalipto verde, esteira de taquara verde - 2m x 2m x 1,30m) não ficou no melhor lugar possível disponível no parque, normalmente se montaria próximo a árvores, com possibilidade de sombra, mas pela natureza do evento, de exposição da função toda, optou-se por fazer próximo ao local de maior circulação de pessoas.


Os finais de tarde no parque em Soledade sempre foram muito bonitos. A cidade fica a uma altitude de cerca de 720m, com vários locais de altiplano, com vistas belíssimas e vários momentos para fotos.

 O segundo dia de ida à Linha 3 Pinheiros, para buscar o resto da lenha e colher a erva-mate foi completamente claro, sem neblina, que permitiu que entendêssemos um pouco mais da paisagem que estávamos visitando.


Com a chegada ao Parque no início da tarde, iniciou-se, então, as atividades de sapeco e encarijamento, entrando noite adentro e terminando somente depois de 16h de secagem completa.




Bem cedo, um mate.
Gringo Velho provando e aprovando a erva que já saía para um mate pelas 7h da manhã.


Cancheamento.

A atividade de moagem, com pilão e soque.


As fotos desta postagem foram retiradas com telefones celulares por Gustavo Türck, Marcelo Cougo e Billy Valdez. A seguir, uma galeria de fotos por Billy Valdez/Coletivo Catarse.

Carijada em Soledade (set 2017)

07 agosto, 2017

#roda carijo: dia 16 de julho - Encarramento do projeto - cancheamento, soque, distribuição erva mate e depoimento do CTG - relatório 3

Após uma longa noite de cuidado do fogo, a manhã chega trazendo uma erva mate verdinha, suave e saborosa deste encontro de integração cultural gerado pela própria erva mate e pelo trabalho de produção de meses em torno das vivências do #rodacarijo, que se encerrou no dia 16 de julho em Porto Alegre. 
Agradecemos ao financiamento da SEDACTEL e a todos os parceiros do projeto: ao CTG Estância da Azenha, Rei do Mate, EPTC, equipe de cultura SMC, Eduardo Verá, equipe de produção e apoio, aos artistas da Ronda Cultural, público e tantos outros que estiveram presentes e participantes.  
Roda Carijo encerrou suas atividades realizando circulação do filme nas cidades de Soledade, Ijuí e Porto Alegre para rede escolar, mais de 5.000 crianças, adolescentes e docentes que assistiram ao filme e conversaram sobre a herança guarani. Foram realizadas 03 carijadas, uma em cada cidade, em que esteve o #rodacarijo, produzindo erva mate de maneira artesanal e coletiva, ao molde de oficina aberta. 
A Carijada de Porto Alegre nos comprovou que um trabalho embasado em atividades formativas sobre nossas raízes culturais, que colocam em primeiro plano a cultura, o diálogo e o compartilhamento da informação, une a todos. Para nossa alegria como produtores culturais e comunicadores, tivemos de resultado uma verdadeira integração e intercâmbio cultural, entre grupos diversos em torno da erva mate. Seguem fotos e depoimento do CTG sobre o projeto:








Relato de Ricardo Santtos, do Departamento Cultural do CTG Estância da Azenha.

A importância deste projeto está justamente em dar foco ao reconhecimento da origem cultural indígena por parte de toda comunidade gaúcha. Mostrando uma genealogia que foi social e historicamente apagada, apoiando o resgate desta História e das estórias da cosmovisão tradicional.
O feitio artesanal,  a valorização de agricultores familiares, a importância da preservação da mata nativa de ervais e a busca por esta conscientização cultural estão também na base de princípios do projeto.
A roda da erva mate é por si só o símbolo do círculo, da união, da energia viva do movimento ideias e trocas, proporcionada pela planta sagrada de origem guarani.

Soque da erva por Eduardo Verá - guarani de Rio Grande.




Cacheamento



Distribuição de erva mate










06 agosto, 2017

#roda carijo: tarde e noite - sapeco, montagem e Carijada - relatório posterior 2

Dia 15 e noite até 16- Durante à tarde montamos todo o espaço para receber o público e com a chegada da erva mate foi realizado o sapeco, desgalho e encarijamento da erva, já com participantes voluntários que realizaram a atividade em molde de oficina e aprenderam também a cuidar e mexer com o braseiro, brando e constante. Consideramos que a Carijada foi um sucesso de público e integração comunitária e cultural. A noite do Carijo de Porto Alegre vai ficar na lembrança de quem esteve presente: nesta noite reunimos em um clima de muita confraternização, amizade e respeito à diversidade, o movimento tradicionalista, grupo de tambores afrogaúchos e a tradição guarani, através do feitio do Carijo. Fizemos questão de destacar a presença de Eduardo Verá, bem como de incluir na programação indicações do CTG, como a artista Mallu Benitez que cantou a América Latina. A atividade cultural da Ronda do Carijo contou com músicas gauchescas, musicas da latinidade platina, dos tambores do sul, com rock and roll e com o fogo de chão em volta ao Carijo.
Mais 400 pessoas participaram e/ou passaram pela Carijada. Só o CTG Estância da Azenha articulou um grupo de mais de 120 pessoas que aproveitaram a receptividade gastronômica do CTG e as atividades do Carijo, com muita diversidade musical e cultural.
O fechamento do trabalho deixou uma semente de respeito à origem e "plantou" um espaço de discussão sobre o tema dentro do CTG, bem como naquele dia proporcionou um momento de integração de diferentes nichos culturais. Nossa equipe também orientou e conversou com o público sobre as atividades, entregou kits e divulgou o projeto #rodacarijo, #sedactel, #juntospelacultura.
Estivemos durante meses alinhando junto ao CTG o conceito e propósito do projeto na busca da integração de diferentes públicos.